03 março 2006

O Forno

 Forno da Roda...Foto....Zel
Recuando uns anitos, melhor uns trinta e pouco, para ser mais preciso, vou recordar o que era o forno da aldeia, o cozer da broa. Era uma pequena festa e também um sinónimo de ajuda e de partilha.
Logo na cedência do fermento era feito, uma cadeia, pois tinha-se o cuidado de ter a malguinha de enzima para ceder a quem iria cozer. Curioso que cozia-se o pão em grandes quantidades e " emprestava-se ". Assim, tinha-se para dar e restituir o que já havia sido pedido. Era uma forma de se ter sempre pão fresco, sem dúvida, um sinal de uma partilha e ajuda muito grande.

Com a chegada dos " trigos ", o cozer o pão de milho, foi caindo em desuso. Foi-se perdendo a tradição, apesar de que nos dias de hoje, todas as padarias mantêm o pão de milho, nas suas bancas.

Actualmente, são muito poucas as famílias que utilizam o forno comunitário. É que não é só cozer o pão! É preciso aquecer o forno (com bastante lenha) e previamente há que amassar o pão, deixar fintar, tender... e esperar que a saborosa broa fique cozida.
Tudo isto, de uma forma ainda muito artesanal, muito demorada. A vida de hoje não nos possibilita esta morosidade! Além do mais, temos o padeiro, logo pela manhã!

Nesta localidade, foram realizadas obras de grande vulto na beneficiação deste espaço, pela Junta de Freguesia, sendo na altura o Sr., João Albuquerque, o Presidente.

Para quem cresceu a partilhar este sítio e tudo o que envolvia o cozer da broa de milho, fica sempre com os sabores e cheiros desse tempo, sendo por isso, este lugar recordado com carinho, mesmo apesar de ser pouco utilizado.

Quem não se lembra das bolas de sardinha, bacalhau, e carne na massa de milho, que ainda hoje são um petisco invejável?

Agora ia não?

Comments:
Por acaso, ainda me lembro de quando a minha avó cozia lá o pão. A família juntava-se e ía-mos lá comer a bola de carne e de sardinha. Era uma maravilha, ali a sair quentinha do forno. É pena estar a perder-se estes hábitos. Há muitos miudos que não sabem o que é um forno a lenha. Só conhecem o micro-ondas.
 
Parabéns, adoro conhecer estes tesouros.
Bjs.
 
Ai não que não ia... Boa recordação esta.
 
Claro que ia!!! que saudade do cheiro, das vozes, dos olhares... condescentes e cúmplices dos bisavós e avós, encobrindo as tropolias e a roupa sempre suja! os joelhos esfolados!
broa de sardinha, que a minha infância (férias grandes), foram divididas entre Peniche e Portalegre os meus pês preferidos... e únicos!!!

Beijo, bom fim-de-semana :)
 
Ah felizardos !

(Na minha "província" - Oeste - não se usava.)
 
Tem novidade em meu BLOG! Confira e post seu comentário!

Meu blogger: http://ilustrada-ppg.blogspot.com/ e meu site: http://www.ilustrada.ppg.br/ Ajude a divulgar a arte! Desde já agradeço! Conto com o seu apoio! Abraços !

Se puder click nos banners! Grato!
 
Boa noite Ze
Gostei, mas na minha opinião está pouco documentado.

porque não aproveita um dia em que esteja a ser utilizado e faz uma fotos da azafama e da famosa bola.

Bem melhor que isso só se organizar uma fornada e convidar aqui os amigos do blog para a prova da famosa bola. Fica a sugestão eu por mim faço-me convidada.
 
Eh pá. Veio-me um aroma ao nariz...
Isto é um perigo, Zé Luís. É que estou gordo demais...
Mas lá que ia, ia!
 
Tenho vindo a acompanhar o blogger rodadepedra, está cada vez melhor, força Zé Luís, lute pelos seus ideais.
 
Abriste-me o apetite... Não para as broas de milho mas para o pão que a minha avó fazia... Era delicioso, então comer uma fatia do pão acabado de sair sair do forno!
Saudades daquele pão mas a cima de tudo da minha avó!
 
atão ná ia?? pois claro que ia!!
...quem me dera :-D
 
Olá Zel! Obrigado pelos comentários! Graças a Deus idéias nunca me faltaraam, mas se faltarem, os diretores de arte das agêencias de publicidade se me assessoram nesta parte! Eles são muito criativos e talentosos! è muito agradável trabalhar nesta área, porque me dão o tema e a liberdade para criar em cima! Abraços e volte sempre que quiser! Li também o seu blog e gostei muito! Tem coisas muito interessantes como o texto O Forno e o significado dos nomes! É muito legal o seu blog! Estarei sempre procurando novidades aqui! Abraços de um amigo brasileiro!
 
Até que ia (apesar do já ter almoçado, mas como nao foi famoso...) Que bonita história nos deixas aqui, eu felizmente tenho um mini forno no meu quintal, e cozo pão às vezes, não tantas quanto gostaria, pois o tempo é pouco, mas pelo menos para matar saudades do pão de antigamente.. Bjhs e boa semana
ps: é verdade AZULLLLLLLLLLLL.. ainda torci pelo Gil, mas.. resta a esperança do Boavista ah ah ah
 
Tenho uma tia que herdou todo o Know How da minha avó nest coisa de cozer o pão. Ela, por sinal ainda é das poucas que vai cozendo aqui pela Abrunhosa e eu vou comendo a broa e a tal bola com a sardinha...ah pois vou...
 
Lembro-me de ter assistido nesse espaço, quando era miudo, a um enterro do entrudo.
Foi uma noite inesquecível e hilariante.
Não só para o cozer do pão esse espaço tem significado, penso que vai mais além.
 
È verdade, também um ponto de encontro, e lugar de muitas outras festas, muitas delas muito simples mas que deixaram uma recordação... em quem as viveu!!!!!!!!!

Pode ser que um dia destes deite o lume ao forno !!!!!!!!
 
e uma bolinha com carne das chouriças... ehh isso é q era..
 
Ai que cheirinho!!! Que saudades das broas, e das bolas de chouriço, carne, presunto, sardinha, etc... que se faziam no forno do quintal dos meus avós.
E os biscoitos e restante “boliquedo”? E os assados dos dias de festa?
E tudo feito com ingredientes caseiros.
Já estou a babar…

Este post é mesmo muito sugestivo!... Lá se foi a dieta.
 
Meu caro amigo Zel, fico feliz por, através de ti, lembrar tempos passados no forno da minha Aldeia. Sim … eu ainda sou do tempo em que se cozia pão de milho no forno.
A broa é, talvez, nostalgia da terra e do forno caseiro.

Não sei se estão lembrados das sopas de cavalo cansado - que davam alento à espinhela até dos moribundos, do bacalhau com broa, das migas com unto, sal e cebola, da broa com sardinha assada a pingar-lhe em cima, da broa com presunto e azeitonas - remédio infalível contra rato de estômago. Ah! E a broa no caldo verde?

Haja saúde e coza o pão no forno!

Abraços
 
Lembrar totalmente não, mas o pão feito nos fornos de lenha fica totalmente diferente e acompanhado com um bom vinho isso sim áí é que se comia o piteu mas se houver oprtunidade e o forno funcionar gostava que nos reunissemos para tal e convivessemos será ppossível já agora conhecesse a terra um passeio

Rui Francisco
 
hummm que bom! tou com fome
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?